aumentar a privacidade no iPhone

5 maneiras de aumentar a privacidade no iPhone

Em um mundo cada vez mais complexo, com tantos aplicativos e programas diversos sendo criados para smartphones e tablets, fica difícil saber o que é confiável ou não. Além disso, temos que lidar com situações em que pessoas mexem em nossos celulares sem consentimento ou até olham o que estamos fazendo, não é mesmo? Nesse contexto, aumentar a privacidade no iPhone é muito importante.

 

Isso porque temos inúmeras informações guardadas em nossos aparelhos que, muitas vezes, são confidenciais, tornando necessária uma proteção extra. Existem diversos apps para ajudar nessa missão, além de acessórios que podem contribuir. Mas é sempre bom ter em mente que não de trata apenas de um gasto, e sim de um investimento, pois prevenir é muito melhor do que remediar, concorda?

 

 

 

 

Aumentar a privacidade no iPhone

Só de buscarmos formas de prevenção contra inconvenientes e ataques cibernéticos já estamos fazendo nossa parte. Assim, aqueles que estão por trás dos crimes digitais podem ser descobertos ou encontrar obstáculos em suas artimanhas.

 

Achou interessante o que leu até aqui? A seguir, preparamos 5 dicas para você aumentar a privacidade de seu iPhone e evitar esses inconvenientes do dia a dia. Acompanhe!

 

 

1. Defina uma senha de acesso

Trata-se de algo que parece óbvio à primeira vista, mas não se engane: muitos deixam de colocar senha para o desbloqueio inicial do smartphone. Seria bom, de preferência, que a combinação tivesse um padrão alfanumérico, pois o Touch ID (pela digital dos dedos) ou o Face ID (reconhecimento de rosto) ainda podem ser suscetíveis a falhas.

 

Utilizar senhas complexas também é uma boa alternativa. A mistura de números e letras dificulta a ação de invasores que tentam infringir sua privacidade. Veja como é fácil fazer isso:

 

  • abra a seção “Ajustes”;
  • vá para a opção “Touch ID e Código” (pode ser que tenha somente a opção “Código”);
  • desabilite a opção “Código Simples”;
  • configure uma senha nova, com a possibilidade de colocar letras também.

 

 

É indicado, ainda, observar se não há ninguém por perto enquanto você está digitando o código. Não se esqueça de que existem pessoas bem sagazes, que se aproveitam de distrações justamente para conseguirem acessar o celular.

 

Além de tudo isso, variar a senha de tempos em tempos é recomendável, até porque dificulta a ação de tais invasores.

 

 

Tela quebrada iHelpU

 

 

2. Adote películas de privacidade

Muitos não têm tanta intimidade com películas de proteção, mas, por incrível que pareça, elas podem ser úteis contra bisbilhoteiros. Atualmente, o mercado conta com modelos que não permitem às pessoas que estão ao seu lado verem o que se passa na tela do aparelho, pelo fato de escurecê-la.

 

Além disso, a película pode trazer uma segurança contra quedas e arranhões, entre outros perigos. Portanto, não é, nem de longe, uma má ideia colocá-la em seu aparelho. E o melhor de tudo é que ela não prejudica a experiência do usuário.

 

 

3. Criptografe os backups

Esse tópico costuma ser ignorado por usuários da Apple, pois poucas pessoas fazem backups e o iCloud fica superlotado de conteúdo. Nesse ponto, deve-se optar por pagar para fazer a tarefa ou executá-la manualmente, pelo computador.

 

Produzir cópias das configurações do smartphone é uma maneira inteligente de permitir que o aparelho permaneça funcionando quando surgirem problemas. Mas é bom que você se preocupe com os dados produzidos por esses backups, pois as informações podem ser vazadas e compartilhadas na rede.

 

Para resolver esse problema, basta adotar os backups criptografados. Eles podem ser feitos pelo iTunes, sendo preciso conectar-se ao seu iPhone por meio do computador (pela saída USB). Basta seguir os passos abaixo:

 

  • conecte o cabo USB no aparelho e no PC;
  • execute o iTunes;
  • selecione o dispositivo móvel no computador;
  • clique em “Resumo”;
  • escolha, na opção “Backups”, “Este computador”;
  • marque “Criptografar backup local”.

 

 

Agora, basta escrever e repetir a senha que é utilizada. Isso faz com que o backup fique assegurado, pois somente digitando a combinação que você colocou ele poderá ser, de fato, recuperado.

 

Tal forma de segurança dá certa tranquilidade ao usuário, pois ele sabe que seus arquivos estarão guardados em um local confiável. E, como estamos sempre suscetíveis a furtos, saber o IMEI (International Mobile Equipment Identity) do aparelho é importante para bloqueá-lo imediatamente.

 

 

4. Tome cuidado ao abrir alertas na tela de bloqueio

Visualizar as mensagens ou ligações recebidas antes de desbloquear o iPhone pode ser bem confortável e interessante. Porém, tal prática dá brecha para que outros também vejam essas informações, sem que precisem saber sua senha ou ter sua digital.

 

Além disso, quando estiver em lugares muito movimentados e tumultuados, onde não consegue distinguir as pessoas claramente, é recomendado deixar o celular no modo silencioso ou para vibrar. Tal cuidado traz segurança em diversas outras situações.

 

Para fazer isso, basta seguir os seguintes passos:

 

  1. acesse as “Configurações”;
  2. vá em “Notificações”;
  3. selecione “Mensagens”;
  4. desative a opção “Mostrar na tela bloqueada”.

 

 

Caso queira somente saber se há mensagens ou notificações, sem ver o conteúdo na tela de bloqueio, basta manter a opção “4” ativa e, em “Mostrar pré-visualizações”, deixar a caixa marcada.

 

 

5. Lembre-se de desabilitar a localização

Um dos detalhes que usuários tanto de Androids quanto de iPhones geralmente esquecem de desabilitar é justamente o GPS (Global Positioning System). E esse é um erro grave que cometemos.

 

Isso se deve ao fato de que, quanto mais aplicativos que usufruem desse sistema estiverem abertos, maiores serão as chances de saberem exatamente onde você está ou esteve. Além disso, é possível descobrir quais roupas está vestindo (pelas fotos que posta), como se comporta, o que faz da vida etc.

 

Se você pensar friamente, perceberá que tais apps liberam informações sigilosas e íntimas para a internet. Um exemplo é o Facebook, que consegue identificar precisamente sua localização, além de outros programas em que a pessoa, por conta própria, fala onde se encontra.

 

Isso facilita bastante a ação de criminosos e indivíduos mal-intencionados, como sequestradores, chantagistas e hackers.

 

Agora que você já sabe como proteger seu smartphone e ficar mais seguro quanto a possíveis invasores, bisbilhoteiros e criminosos diversos, basta colocar nossas dicas em prática e ficar livre de perigos!

 

Gostou de aprender como aumentar a privacidade no iPhone? Quer acessar mais conteúdos exclusivos sobre esse e muitos outros assuntos? Então, siga-nos nas redes sociais (Facebook e Instagram) para ficar por dentro de tudo o que acontece no mundo tecnológico!

1 Comment

Post a Comment